Amapá tem alta de 21% nos casos de HIV/Aids e registrou quase 1 nova infecção por dia em 2021

334 0
Compartilhe este artigo:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Print this page
Print

Do site g1 AP — Macapá

Um comparativo entre os anos de 2020 e 2021 mostrou que o Amapá registrou quase 1 caso de HIV, vírus causador da Síndrome da Imunodeficiência Humana (do inglês “Aids”), por dia. Foram 338 novos registros de HIV/Aids ao longo dos 365 dias do ano passado contra 268 no ano anterior, resultando no aumento de 21% nos diagnósticos da doença.

Os dados são do Serviço de Assistência Especializada e Centro de Testagem e Aconselhamento (SAE/CTA), da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), e alertam que 62% do público infectado em 2021 são homens entre 21 e 30 anos.

Os testes para detectar a doença podem ser feitos em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e os pacientes com resultado positivo são encaminhados para realizar o acompanhamento no SAE/CTA, localizado na Rua Jovino Dinoá, no Centro de Macapá, próximo ao Banco de Leite Humano (BLH).

Viver com o HIV é diferente de ter Aids. Além disso, a infecção pelo HIV não é só uma questão de saúde, mas também reflexo da falta de acesso à educação, da discriminação e violência.

Na unidade referência para tratamento de HIV/Aids são ofertadas consultas, medicamentos e exames que conseguem analisar a carga viral no sangue do paciente e avaliar o sistema imunológico para descobrir o que levou à contaminação e transmissão.

“Reforçar a prevenção através de ações de conscientização é fundamental para que essa ideia fixe socialmente. Precisamos sempre abordar e trabalhar na disseminação da importância da prevenção por meio do preservativo”, frisou a coordenadora do SAE/CTA, Virginia Moreira.

Transmissão

A principal forma de transmissão do HIV é o sexo sem preservativo. Qualquer relação sexual desprotegida está suscetível à contaminação pelo vírus, que pode levar à AIDS.

Outra forma é em contato com o sangue infectado, que pode acontecer através do uso de seringa por mais de uma pessoa ou de instrumentos cortantes não esterilizados.

A gestante com HIV também pode transmitir a doença para o filho durante a gravidez, no parto ou na amamentação com o leite materno infectado (transmissão vertical).

Sintomas

O vírus apresenta diversos sintomas no corpo humano e que podem ser atribuídos a outras enfermidades, o que torna difícil descobrir a doença sem realizar o teste.

Febre baixa, perda de apetite, perda de peso, dor de cabeça, cansaço excessivo, garganta inflamada, dores nas articulações, diarreia e sudorese noturna estão entre os sintomas mais comuns da infecção por HIV, segundo a Sesa.

Prevenção

Além de todos os métodos que já sabemos, como o uso de preservativo, o uso de medicamento com acompanhamento médico também é uma forma de diminuir os riscos de infecção após ou pré exposição sexual – ou em ambiente de trabalho.

A recomendação é que a profilaxia Pós-Exposição (PEP) seja feita nas primeiras duas horas após a exposição, e no máximo, até 72 horas após o contato de risco. A duração do medicamento é de 28 dias, e esse processo deve ser acompanhado sempre por uma equipe de saúde.

Profilaxia Pré-Exposição HIV (PPrE) é um medicamento preventivo para a Aids — Foto: Divulgação/Prefeitura de Santos

Já a Profilaxia Pré-Exposição HIV (PREP) é um medicamento preventivo para o HIV

Após esse processo, o paciente precisa continuar fazendo o acompanhamento. O método diminui em 100% as chances de desenvolver o HIV.

Em casos de menores de 12 anos e gestantes, o atendimento é feito no SAE/CTA, localizado na Rua Jovino Dinoá, número 204, de 8h às 12h e de 14h às 17h.

Os medicamentos para profilaxia pós-exposição estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Lélio Silva, Rubin Aronovitch, Marabaixo, Perpétuo Socorro, Marcelo Cândia e Bailique (Vila Progresso).

Compartilhe este artigo:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Print this page
Print

Nenhum comentário on "Amapá tem alta de 21% nos casos de HIV/Aids e registrou quase 1 nova infecção por dia em 2021"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.