Carta aberta ao DCCI/Ministério da Saúde sobre a Substituição do termo “Doenças Avançadas”

175 0
Compartilhe este artigo:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Print this page
Print

Ao 

Dr. Gerson Fernando Mendes Pereira 

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e IST – DCCI/MS  

REF.: A Substituição do termo Doenças Avançadas pela palavra Aids gera prejuízo de cuidado a vida de Pessoas Vivendo com HIV/Aids.  

Prezado,  

A RNP+ Brasil é uma organização nacional de pessoas vivendo com HIV/Aids, sem vínculo político partidário e religioso, que atua na promoção do fortalecimento das pessoas sorologicamente positivas para o vírus HIV/Aids, independente de gênero, orientação sexual, credo, raça/cor ou etnia e nacionalidade. Fortalecendo individualmente e coletivamente as pessoas vivendo com HIV e Aids em todas as regiões do País.  

Considerando que a Aids não acabou e não mudou de nome, que a Aids ainda existe e mata muitas pessoas e coloca o número de pessoas que morrem por ano de Aids no Brasil e no mundo;   

Considerando que Carga viral é a quantidade de vírus presente no sangue do paciente – ou seja, quanto mais cópias o vírus produz, maior é a carga viral no organismo, principalmente para quem não iniciou o tratamento ou está em falha terapêutica 

Considerando que a contagem de células CD4 tem sido aceita como bom marcador de imunodeficiência e sua depleção associada a deficiência grave na imunidade celular. De maneira distinta, o CD4 elevado significa que o paciente apresenta um quadro de imunocompetência.  

Considerando que a contagem de CD4 menor que 200 cel/mm3 implica também na evolução do processo de adoecimento para Aids de um individuo que não iniciou o tratamento ou que esteja em falha terapêutica com os antirretrovirais.  

A Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e Aids (RNP+Brasil), vem por meio deste descrever sua indignação com a postura do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e IST – DCCI/MS, que desde a realização do ENONG 2022, no Estado do Ceará, representantes do DCCI/MS vem descrevendo e apresentando o termo doença avançada no lugar da palavra AIDS, esquecendo que o próprio DCCI apresenta em seu relatório no Webinario_GlobalAids 2022, que 27% das PVHIV chegaram ao serviço de saúde com doença avançada, em 2021, escondendo uma realidade ainda existente em todas as regiões brasileiras, que é a aids presente no País, posto que o HIV é um retrovírus que, ao se reproduzir e multiplicar, provoca condições necessárias para a evolução de infecções oportunistas, causando prejuízo a milhares de vida de Pessoas Vivendo com HIV/Aids.  

Neste sentido, a Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids solicita a retirada do termo doença  avançada e retorne para o uso contínuo da palavra aids nos materiais e apresentações do DCCI, respeitando milhares de vidas que foram perdidas no processo de adoecimento em decorrência da aids.  

 

Vando Oliveira 

Secretário Político – RNP+ Brasil

 

Augusto Platini Menna Barreto Gomes 

Secretário de Comunicação – RNP+ Brasil 

 

 Cledson Fonseca Sampaio 

Secretário Executivo – RNP+ Brasil 

 

 

Compartilhe este artigo:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Print this page
Print

Nenhum comentário on "Carta aberta ao DCCI/Ministério da Saúde sobre a Substituição do termo “Doenças Avançadas”"

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.