Nossas redes sociais:

17/08/2020

Pesquisa ICPCOVID com PVHA entra em nova fase

Está aberta nova fase da pesquisa ICPCovid com pessoas vivendo com HIV/aids (PVHA). O estudo internacional é coordenado por pesquisadores da Universidade de Antuérpia, na Bélgica, e está sendo aplicado em dezenas países em todo o mundo.

Nas Américas, participam Brasil, Equador e Peru. No Brasil, o estudo é coordenado pela pesquisadora Edlaine Faria de Moura Villela, do curso de Medicina da Unidade de Ciências da Saúde da Universidade de Jataí (GO).

Recentemente foram divulgados alguns resultados preliminares da fase anterior da pesquisa. Participaram 346 indivíduos de 32 países. Aqui estão alguns deles:

  • – 23,3% relataram sinais de depressão;
  • – 22,7% relataram sinais de ansiedade;
  • – 17,7% tiveram dificuldades em obter seus antirretrovirais;
  • – 43% não foram vacinados contra a gripe comum.

Muitos relataram episódio de sintomas gripais, mas apenas 22 (6,4%) foram testados para Covid-19 e, destes, cinco indivíduos testaram positivos. Apenas duas pessoas foram internadas no hospital, mas nenhuma delas precisou de ventilação.

“Esperamos que a redução da epidemia melhore seu astral e a disponibilidade de sua terapia. No entanto, sugerimos que você vacine contra a gripe comum neste inverno para que você tenha menor probabilidade de desenvolver sintomas gripais que possam vir a causar preocupações”, recomenda o documento enviado pela Universidade de Antuérpia com os resultados preliminares.

Além das PVHA, o estudo tem questionários para pessoas com epilepsia, trabalhadores da saúde e as pessoas que têm enfrentado, nos âmbitos pessoal e familiar, a Covid-19.

O estudo ICPCovid foi aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), que regulamenta as pesquisas com seres humanos aplicadas no Brasil.

Se você vive com HIV/aids participe da pesquisa aqui.

Pesquise uma matéria por palavra
Pesquise notícias mais lidas
ticket alimentação MANAUS 2007

Seja Afiliado

Venha fazer parte dessa grande famìlia e juntos trasformar vidas

Junte-se a nossa causa e ajude a melhorar a vida de diversos brasileiros desasistitidos que lutam por condições melhores de vida e acesso a remèdios e procedimentos que podem lhes dar uma expectativa de vida maior.

É gratuito! Unindo forças e oferecendo o que possamos dar como influencia e dedicação as causas de políticas públicas podemos ajudar uma grande comunidade.